Voltar    
  A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NA APRENDIZAGEM DOS DOCENTES

Tereza Barbosa Rocha

O Programa de Interiorização da UFES na Modalidade Aberta e a Distância – EAD, surgiu da sinalização dada pela LDB em seu artigo 80 que atribui ao Poder Público o papel de “incentivar o desenvolvimento de programas de ensino a distância em todos os níveis e modalidades e de educação continuada” e no artigo 87, parágrafo 3o , inciso III, quando diz que “ cada município e supletivamente o Estado e a União, deverá: realizar programas de capacitação para todos os professores em exercício, utilizando também para isto, os recursos da educação a distância.”

Nesse sentido, a UFES firmou convênio com a UFMT, por tratar-se de uma experiência avaliada e aprovada pelo MEC, com o conceito máximo “A”, cujos resultados extremamente positivos têm sido objeto de divulgação e recomendação no país e no exterior.
O Ne@ad – Núcleo de Educação Aberta e a Distância, tem sua estrutura fixa na UFES – Campus de Goibeiras _ Vitória_ ES.
Os Cre@ads – Centros de Educação Aberta e a Distância, foram instalados seguindo a lógica da implantação das Superintendências Regionais de Educação (SER) e da Secretaria de Educação (SEDU), ou seja, por regiões. Assim, encontram-se em funcionamento, desde 2001, 14 desses centros em todo o Estado do Espírito Santo, com a Licenciatura Plena em Educação Básica _ 1a a 4a Séries, através da modalidade EAD, que estão estruturados através da combinação das modalidades de Ensino a Distância e Presencial, numa prática bimodal ou semipresencial.
Dentre as temáticas trabalhadas no decorrer do curso e que podem exemplificar a compreensão da relação teoria-prática na Licenciatura a Distância, está, entre outras: o Ensino da Linguagem – planejamento e desenvolvimento de uma proposta produtiva para o ensino de produção de Leitura e de Texto. Esta temática que me levou a priorizar o tema escolhido, conforme os objetivos apresentados a seguir.

II -Objetivos:

Analisar as práticas de leitura de professores das séries iniciais de escola pública no município de São Mateus (ES);

Compreender as influências de tais práticas em sua formação no que se refere à compreensão do material didático utilizado por elas no curso de Pedagogia –EAD.


III -Os princípios teóricos utilizados para esse estudo também estão centrados de acordo com os três eixos temáticos.

• Para EAD, utilizei-me de Oresti Preti em Autonomia do Aprendiz na Educação a Distância _ significados e dimensões, que propõe reflexões sobre quais as dimensões a serem observadas nos alunos para que se tornem autores e atores do seu próprio processo formativo.
Em seu artigo, Preti coloca em foco um outro pólo da relação que se estabelece no processo ensino-aprendizagem, o sujeito da aprendizagem. E, dentre os mais variados aspectos que poderiam ser privilegiados e tratados, ele destaca e fala sobre a autonomia deste sujeito _ adulto e matriculado num curso oferecido a distância. Que processos de auto-aprendizagem podem ser criados e fortalecidos?

• Sobre a formação de professores, Nóvoa(1992), utilizando-se da colaboração de vários autores em suas investigações em diferentes países, propõe a formação numa perspectiva que denomina crítico-reflexiva que “forneça aos professores os meios de um pensamento autônomo e que facilite as dinâmicas de formação auto-participada”. (1992,p.25).

• Kleiman (1989) contribui com nosso estudo ao fazer uma distinção entre modelos pré- interativos de leitura ou unidirecionais, e modelos interativos, posicionando-se a favor destes últimos. Segundo ela, modelos interativos são aqueles que levam em conta a inter-relação entre sistemas cognitivos e lingüísticos do leitor no momento em que este busca compreender os sentidos do texto, advertindo que interação a que se refere não é aquela que se dá entre o leitor, determinado pelo seu contexto e o autor, através do texto, mas sim do inter-relacionamento _ ou interação _ de diversos níveis de conhecimento do sujeito leitor, desde o conhecimento gráfico até o conhecimento do mundo.

IV -METODOLOGIA:

A pesquisa está sendo desenvolvida durante os momentos presenciais, quando, enquanto tutora, preciso estar atenta às dúvidas trazidas pelas alunas, para, de acordo com as orientações dos professores especialistas, reorientá-las no percurso. Nesses momentos, onde há trocas de experiências de suas práticas, há um discurso desses professores quanto à dificuldade em ler e compreender as teorias apresentadas nos módulos das diversas disciplinas do currículo. Esse fato me chamou a atenção para investigar em que consistem as dificuldades, para que as intervenções sejam feitas.

Sujeitos envolvidos:

Professores em exercício no Sistema Municipal de Ensino _ São Mateus _ ES. que cursam Pedagogia na modalidade EAD, no Cread dessa cidade, vinculado ao Nead – UFES.

A título de diagnóstico, oferecemos a um grupo de 50 alunos, tipologias textuais diversificadas, durante o período em que cursavam a disciplina Linguagem ( fevereiro a julho de 2004), para que lessem e fizessem as atividades de compreensão propostas, durante os momentos presenciais.
Os textos oferecidos variavam entre humorísticos, informativos, descritivos, narrativos, dissertativos, literários.


Tomamos por empréstimo um modelo de competências específicas de leitura do PROCAP – Programa de Capacitação de Professores da Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo, para monitorar os trabalhos dos alunos.
Em seguida, analisamos e registramos os resultados, enfatizando as habilidades de localização, associação e inferência, conforme mostraremos no quadro COMPETÊNCIA GLOBAL.


Selecionamos, nessa amostragem, cinco questões para as quais tabulamos os resultados, a seguir, de acordo com a legenda:

(a) sempre; (b) às vezes; (c) somente com ajuda.

1. Identifica idéias principais no texto:

(a) 31 alunos (b) 14 alunos (c) 5 alunos

2. Relaciona idéias acessórias à idéia principal à qual se refere:

(a) 23 (b) 18 (c) 9

3. Enumera, justificando com lógica, idéias inferidas, não explícitas no texto:

(a) 13 (b) 17 (c) 20

4. É capaz de distinguir em textos lidos, o que é fato e o que é opinião:

(a) 36 (b) 12 (c) 2

5. Seleciona dados necessários no momento, desprezando os irrelevantes:

(a) 30 (b) 16 (c) 4

VI – Algumas considerações:

Penso que são os desafios que criam necessidades. A partir da obtenção dos dados aqui demonstrados, percebo que o papel daquele que se propõe auxiliar outros no percurso da leitura deve ser o de proporcionar a esses sujeitos, uma relação com o texto que os conduza ao desenvolvimento de competências de leitura que contribuam para maior autonomia desses leitores diante de qualquer tipo de texto _ e quem sabe, no futuro, diante de qualquer tipo de linguagem _ com a qual se defrontem.
Existe a hipótese de que sendo o professor formador de leitores, será tão mais eficaz nessa formação quanto melhor leitor puder se tornar.

 
Voltar